Indicadores de Desempenho: o que são e como podem aumantar o resultados da sua empresa.

Mas afinal, o que são indicadores?

 

Os indicadores de desempenho, também conhecidos como KPI (Key Perfomance Indicator), são considerados ferramentas de gestão que possibilitam  medir os resultados obtidos através dos objetivos propostos pela companhia.

Entender o que a empresa quer, tendo em mente os objetivos claros, para garantir um melhor planejamento estratégico, possibilita um melhor acompanhamento das atividades da empresa. Assim, fica claro perceber que a utilização dos indicadores proporciona uma base dimensional para tomada decisões, que permitem dar origem à estratégias de melhoria.

Os indicadores de desempenho são divididos em 4 grupos, que deles originam infinitos subgrupos de acordo com a realidade e ou necessidade da companhia. São eles:

 

1. Indicadores de produtividade:

associados à produtividade do empregado, hora/máquina, no que diz respeito ao uso dos recursos da empresa em relação a entrega dos resultados. É a quantificação dos esforços empregados x o resultado final. Exemplos práticos do uso desse indicador fornecem a relação de custo benefício de uma determinado objetivo, como por exemplo: a taxa de conversão de vendas, rotatividade de mão de obra e horas/homem por projeto entregue.

 

2. Indicadores de qualidade:

se relacionam com a métrica da produção, no que tange o controle de qualidade das entregas. Um modelo desse indicador é, por exemplo, a quantidade de descartes de uma produção em um período x, ou ainda a quantidade de reclamações em um pós-venda. Os indicadores de qualidade podem ser do tipo: de atendimento, de segurança, de efetividade, entre outros. No intuito de desenvolver o crescimento de uma empresa, o ideal é que o gestor atrele os indicadores de desempenho juntamente com os indicadores de qualidade, para garantir uma eficiência produtiva.

 

3. Indicadores de capacidade:

são associados a capacidade resposta de um processo, ou seja, delimitar o desempenho produtivo em determinado período de tempo. São eles: número de peças produzidas / hora, número de atendimento / mês, entre outros. As consequências do uso desse indicador juntamente com o indicador de qualidade e produtividade tem potencial de posicionar a empresa no mercado competitivo.

E o último indicador,

 

4. Indicadores estratégicos:

que são responsáveis por guiarem a empresa na direção dos objetivos estabelecidos, através do estabelecimento de um comparativo do cenário ideal com o real.

Deve-se mencionar que a escolha do indicador varia de acordo com a necessidade da empresa, entretanto, independente da escolha, todos devem ser: mensuráveis, específicos, positivos e de cunho responsabilizador. Ao adotar uma das métricas é importante que se possa medi-la sem muitos esforços. É necessário que o indicador seja claro e de fácil entendimento, e a principio, que se limite a um indicador por núcleo funcional.

É importante focar sempre nos aspectos positivos, e evitar pensar nos indicadores como uma ferramenta de medir erros e sim de aumentar os acertos. Assim, através da responsabilização e do acompanhamento, os indicadores têm sido cada vez mais usados para melhorar a gestão das empresas.

 

Por Maria Paula Noya

 


O QUE ACHOU DO ARTIGO?

Deixe suas dúvidas nos comentários ou entre em contato conosco para que possamos ajudá-lo! Você também pode agendar um diagnóstico gratuito clicando aqui ou entrando em contato através do telefone (71) 3273-8508.

 

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cresça seu Negócio com Nossos Materiais

Em um mundo cada vez mais digital e exponencial, estar conectado a todas as tendências de gestão é um imenso desafio. Mas, existem opções confiáveis e a Primus Consultoria é uma delas.
Deixe seu e-mail e esteja sempre atualizado.